FANDOM


Eu sou Ordis, Cephalon da nave, uma sombra do meu eu anterior.

—Ordis

Ordis é um Cephalon de origem Orokin que ficar a bordo do Orbital. Sua forma visual é a de um hexaedro rachado que emite ondulações de onda de rádio enquanto fala. Ordis auxilia o Tenno, a quem ele se refere como "Operador". Ele gerencia os vários sistemas da embarcação de desembarque de Tenno e fornece-lhes informações entre missões. O novo Tenno primeiro o encontra durante a Recompensa de Vor.

História

Geral

Ordis é um Cephalon danificado programado para ajudar o Tenno. Ele é principalmente funcional, embora ele exiba sintomas de dano residual infligido a ele por uma operação de resgate Grineer. Este dano apagou partes de sua memória, incluindo seu conhecimento da Guerra Velha.

O discurso e o comportamento de Ordis ocasionalmente são alterados em ataques momentâneos de raiva e agressão. Não se sabe se este é um sintoma de seus subsistemas danificados ou se é uma personalidade subsumada que se liberta. Essas explosões são marcadamente diferentes da calma habitual exibida por outros cephalons não conclave. Depois de uma explosão, Ordis é propenso a se corrigir.

Recompensa de Vor

Depois que o capitão Vor derruba a Liset enviada para resgatar o Tenno recém-despertado, o Tenno encontra outra Liset (com Ordis a bordo) confiscado nas proximidades. Ordis inicialmente confunde o Tenno com outro soldado Grineer, mas logo percebe sua verdadeira identidade e os ajuda a escapar.

À medida que o Tenno está familiarizado com seus arredores, a Lotus instrui o Tenno a recuperar componentes de substituição para restaurar as funções do Liset (para o deleite de Ordis, pois isso permite que o Tenno se exija vingança no Grineer e no Corpus por destrur seus componentes). Ao longo do caminho, o Tenno resgata um comerciante do mercado negro chamado Darvo, que - enquanto querendo ajudar o Tenno a remover o Ascaris implantado por Vor - entra em uma pequena disputa com Ordis devido aos antigos laços de Darvo com o Corpus.

Uivo do Kubrow

Ao ouvir notícias do desejo de Tenno de obter um Kubrow, Ordis deixa sua aversão clara, observando-os como criaturas malcriadas e anti-higiênicas que ameaçam soltar o interior prístino de sua nave. Ao longo do tempo, no entanto, Ordis se torna mais aceitável ao Kubrow recém-descoberto, comentando que seus latidos e ofegantes não são "desagradáveis".

O Teorema Limbo

Quando Ordis recebe uma série de provas misteriosas e incompletas, ele inicialmente se recusa a examiná-lo ainda mais, mas teoriza que o Tenno pode decifrar as equações tocando em torres de comunicação Grineer no espaço para colecionar fragmentos de prova adicionais. À medida que Ordis e o Tenno são os fragmentos de prova, Ordis percebe que a prova pertencia a um warframe que poderia acessar outra dimensão através de suas equações. Ansiosamente aguardando novas descobertas, Ordis solicita ao Tenno que localize os componentes do Limbo para desvendar o teorema.

Depois que o Tenno localizar e construir o último dos componentes do Limbo, Ordis lê prontamente a próxima equação, apenas para descobrir que foi o último do Limbo, tendo calculado mal seu último salto. Desanimado, Ordis exorta o Tenno a ter mais cuidado ao receber o warframe para seu próprio uso.

Sonhos Roubados

À medida que o Tenno recupera porções do Codex Arcano sob a direção de Maroo, Ordis sugere que o Codex pode levar a um tesouro Orokin (para o deleite de Maroo), e fica chocado porque o Codex foi escrito por outro Operador. Uma vez que o Tenno complete o Codex, o Ordis comenta que qualquer máquina que possivelmente pudesse ler o Codex tenha desaparecido há muito tempo, apenas para Maroo indicar que obteve o Codex de uma máquina profunda em um Orokin Derelict. Ordis teoriza que a máquina poderia ler o Codex, e a Lotus instrui o Tenno a dirigir-se a Phobos (onde se localiza um portal que conduz à ditada) para decifrar o Codex.

Uma vez que o Tenno encontre a máquina e insira o Codex, ela transmite uma mensagem enigmática antes que a máquina desapareça. Decepcionado por não ter nada de valor, Ordis pede desculpas a Maroo por ter conseguido as suas esperanças (apesar de que ela o maltrata "Ordo" durante toda a pesquisa) antes de se separar com o Tenno.

O Novo Estranho

Enquanto o Tenno investigava informações sobre um período de guerra, Cephalon Simaris percebe Ordis e revela que o último é um Cephalon Série 2 ainda funcional; Todos os outros cephalons daquela marca têm sido degradados, além de serem reparados. Ao longo da jornada Simaris ensina a Ordis a decifrar as várias transmissões e códigos que eles encontram durante a investigação. Impressionado com suas habilidades, Simaris oferece a Ordis a chance de ser o mordomo de seu Santuário, enquanto também promete restaurar Ordis de volta à funcionalidade completa, pois acredita que Ordis está desperdiçando seu potencial para administrar o Orbital.

Quando chega o momento de derrotar Chroma, Ordis com seu conhecimento descoberto sugere síntese versus destruição para reduzir o perigo para o Tenno, indo contra os desejos de Simaris. Em última análise, a Ordis rejeita a oferta da Simaris, afirmando que ele é o primeiro Cephalon do operador.

O Preceito de Jordas

Uma vez que Ordis recebe uma transmissão de emergência de outro Cephalon chamado Jordas (que foi capturado pela Infestação), Ordis insta o Tenno a restabelecer o contato com Cephalon encalhado e resgatá-lo. Jordas solicita ao Tenno que adquira Pherliac Pods para resgatá-lo, mas, à medida que o Tenno prova a eficácia dos Pods, Ordis começa a duvidar da veracidade de Jordas devido ao comportamento errático desse último.

Quando o Tenno começou a resgatar Jordas em Eris, fica claro que Jordas foi corrompido pela Infestação e enganou tanto o Tenno quanto Ordis na colheita dos Pods para uso da Infestação. Ordis encoraja o Tenno a destruir a monstruosa abominação, enquanto Jordas implora por morte, tudo enquanto se desculpa com Ordis por suas ações.

Fragmentos

Os fragmentos de memória coletados em todo o sistema solar revelam as origens da Ordis através de memórias recuperadas. Durante a era de Orokin, Ordis era uma vez um guerreiro chamado Ordan Karris, servindo o Orokin como um mercenário. Atormentado por suas ações na batalha como a autodenominada "Besta dos Ossos", e sofrendo de uma doença terminal, Ordan elaborou um plano para executar valentemente na batalha até que o próprio Orokin o reconheceram pessoalmente para recompensá-lo por seu serviço. Mais irritado pela oferta de se tornar um Orokin ele mesmo abençoado com a vida eterna, Ordan iniciou um estado suicida e matou com sucesso todos os Orokin mais próximos dele.

Em sua morte, Ordan foi revivido pelo Executor Ballas, que castiga Ordan por ter sua mente transferida para um computador, e suas memórias adulteradas para servir como uma guarda leal sobre o Tenno. Como o recém-renomeado Ordis, ele serviu o Tenno fielmente na Guerra Velha, mas gradualmente recuperou suas lembranças de sua vida antiga quando o tempo passou e depois que Tenno entrou em criosleep. Com suas memórias antigas voltadas a ele, Ordis tenta uma seqüência de autodestruição para se destruir, mas pára no último momento em que ele percebe seu amor pelo Operador e, em vez disso, purifica suas lembranças para impedir que seu antigo ser de ressurir.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.